Sítio Florestinha – Agrofloresta, abundância e criptomoedas com Dax Reis

O que a produção de alimentos em sistemas agroflorestais, o paradigma da abundância, a produção e comercialização em redes e as criptomoedas tem em comum? Nesse podcast eu converso com o Dax Reis, empreendedor, inovador e ativista socioambiental que fundou o Sítio Florestinha em Alto Paraíso, GO. Ele costura para a gente como esses conceitos se completam em um novo paradigma distruibiodo, abundante e regenerativo.

Nota: Lembro a todos que podem baixar o Stitcher (para Android) e o iTunes (para iPhone) e ter os podcasts para ouvir no telefone. Para quem gosta de assistir tem o canal no YouTube.

Na primeira parte do nosso papo Dax compartilha como a implementação de sistemas florestais é uma experiência existencial, mas que à partir da colheita vira um negócio com demandas urgentes relacionadas ao plano material. A história do começo do Sítio Florestinha é parecida com a jornada de muitas pessoas que fazem a transição para o campo e passam a ser produtores que precisam aprender a comercializar. Dax compartilha com a gente as falhas e as soluções de comercialização em rede que ele encontrou combinando a venda na feira, a venda direta e a venda em parceria com os supermercados locais. Convencendo os empresários locais que o há demanda por produtos agroecológicos ou florestais, o Dax conseguiu implementar gôndolas nos mercados onde os produtores agroecológicos ou agrofloresteiros podem deixar seus produtos para venda e educar o consumidor da qualidade e vantagens que eles tem.

Em seguida entramos em uma conversa muito esclarecedora sobre os ‘por quês’ das instituições centralizadoras reforçarem o paradigma da escassez, enquanto uma abordagem descentralizada pode trazer o paradigma da abundância. Dax conta como que no paradigma de escassez e no mundo corporativo “as pessoas que controlam acessos a recursos, são as pessoas que precisam ser influenciadas e como em modelos distribuídos, sem cadeia de comando e controle, os nós da rede precisam se emponderar para tomar as melhores decisões pela rede”. Ele compartilha como ele não acredita em combater um sistema, mas em criar novos sistemas. Uma pegada bem Buckminster Fuller. Nesse novo paradigma, “abundância é você acesso ao que você precisa, quando você precisa”, frase do Oswaldo de Oliveira, que o Dax compartilha na entrevista. Compartilho abaixo um vídeo em que o Oswaldo explica como os modelos distribuídos geram o paradigma de abundância.

Entre outros projetos de vanguarda o Dax está criando o ‘Florestinha’, um token ou moeda digital que permite a troca de valores instantânea entre todas as pessoas envolvidas em uma cadeia de produção e comercialização de um produto ou serviço agroflorestal. Junto com outras pessoas envolvidas o Dax criou uma poupança coletiva distribuida, desenvolveu um ‘contrato inteligente’ à partir de outra criptomoeda chamada Prosper. Em um exemplo prático, se emitimos 1000 Florestinhas, e dividimos 20% para cada um dos 5 iniciadores, toda vez que entra um pagamento pelo’contrato inteligente’ ele é automaticamente divido entre os participantes do contrato (nas proporções acordadas inicalmente), independente de onde eles estejam no planeta. Se é um pagamento para quem não participa do contrato esse valor fica na carteira digital deles.

Essa criptomoeda passa a ter um valor real e pode ser trocada por Reais, Dólares Australianos ou Americanos em uma casa de câmbio, com a enorme vantagem de não ter atravessadores, taxas ou reguladores. Essa tecnologia, com essa abordagem, pode nos permitir um grau de autonomia entre as pessoas ligadas com a agropecuária regenerativa que nunca tivemos. Pode, de fato, possibilitar a criação de um sistema novo, onde o paradigma vigente é o do socialmente justo, ambientalmente seguro e financeiramente viável PARA TODOS.

Obrigado Dax pelo papo! Sucesso na jornada e espero, assim que possível, fazer um podcast atualizando todos sobre o andamento dos projetos. Se você é programador ou conhece uma pessoa que seja e que esteja interessada em ajudar na criação do Token do Florestinha, por favor, entre em contato com o Dax pelo FB @sitioflorestinha.

Depois de 10 anos sem voltar à Chapada dos Veadeiros eu fiquei chocado com a degradação do Cerrado, com a rapidez com que está sendo desmatado. A estrada que antes era atravessava por meio de um cerrado lindo, hoje exibe campos de soja, algodão e outros cultivos do agronegócio sem uma árvore sequer por quilômetros a fio. Foi no meio dessa monocultura mental, social, cultural e econômica da degradação, que encontrei pessoas maravilhosas criando um mundo novo, como podem, onde podem e com o tem nas mãos. Como diz o Paul Hawken, empreendedor verde americano, é impossível ver os dados e a rapidez da devastação sem que nos tornemos desesperançosos, mas também é impossível trabalhar com os agentes de mudança positiva sem que tenhamos a certeza de que outro mundo já está acontecendo.

Agradecimentos especiais para o Pedro Avelino, que criou o grupo Choque de Permacultura e promoveu um curso com um pessoal muito bacana da arquitetura em Brasília e possibilitou minha ida à Chapada dos Veadeiros em 2018. Agradecimentos igualmente especiais para a Silvinha (@silmelo.essencial ) e para o Ed Samadhi (@edsamadhi), família, casal empreendedor, e pessoas lindas que nos receberam em sua casa cedendo espaço para esse trabalho e para a farra.

Abraços,
Eurico Vianna

Nota sobre o Impacto Positivo e a turnê Gerenciamento Holístico 2019 – Solto esse programa já em meio a preparações de outra viagem para o Brasil na qual estarei promovendo junto com o educador/consultor Australiano Graeme Hand o Gerenciamento Holístico no Brasil. Vou trabalhar com a Escola de Permacultura, com a Fazenda Bella e com novos parceiros no interior de São Paulo, mas preciso da ajuda de todas as pessoas que gostam do conteúdo para divulgar essa turnê! Peço a todos que compartilhem o conteúdo específico do Gerenciamento Holístico para eu possa encontrar parceiros que viabilizem esse projeto e os podcasts de maneira geral como forma de mostrar que outro mundo é possível, já existe, é viável e muito mais digno, saudável e harmonioso.
– Se você usa um celular Android se inscreva no Stitcher ou se usa iPhone, se inscreva no iTunes.  Aproveite e deixe sua avaliação por lá, isso faz muita diferença em como o podcast passa a ser ‘oferecido’ nos mecanismos de busca 😉
– Compartilhe as entrevistas e artigos com seus comentários nas suas mídias sociais.
– Se você prefere assistir as entrevistas em vídeo, se inscreva no canal no YouTube.
– Curta a página do Podcast no Facebook
– Se inscreva na mala direta para receber artigos, entrevistas e cursos em primeira mão.