Dmitry Orlov e Os 5 Estágios do Colapso

Dmitry Orlov tem escrito sobre as semelhanças entre o colapso Soviético causado pelo pico do petróleo e a crise que se desenrola nos EUA. Orlov deixou a Russia com sua família aos 12 anos de idade para viver nos EUA. Ao final da década de 80 e começo da década de 90 ele viveu de perto o colapso soviético durante várias longas visitas à sua terra natal. Um dos objetivos principais de Orlov é educar as pessoas sobre o que acontece quando a economia entra em colapso e o dinheiro perde seu valor e sua capacidade de suprir as necessidades básicas das pessoas.

Nota: Eu escrevi esse artigo em inglês para o site da Holos Regenerative Design, empresa da qual sou sócio fundador na Austrália em Outubro de 2016. Esse artigo foi escrito juntamente com outros para discutir com alunos como o pico do petróleo está por trás da crescente crise econômica mundial e porque precisamos buscar éticas, princípios e metodologias que nos permitam viver sem depender tanto dos combustíveis fósseis. O trabalho de Orlov exemplifica bem essa lógica e permite identificar (por meio de evidências históricas) a eminência do colapso da economia baseada na exploração dos combustíveis fósseis.

Em Os Cinco Estágios do Colapso Orlov explica que 3 anos antes de seu colapso a União Soviética teve um pico em sua produção de petróleo e entrou em uma crise energética. O fato de que especialistas argumentam que a produção mundial de petróleo atingiu um pico de produção em 2005, exatamente 3 anos antes da crise estadunidense de 2008 é estarrecedor. Segundo Orlov as semelhanças não param por aí. Tanto os EUA como a União Soviética são plutocracias que se agarram ao poder resistindo as mudanças inevitáveis e ignorando suas responsabilidades sociais para com suas populações.

Os modos de vida dessas duas super potências, no entanto, eram bem diferentes. Na União Soviética a distribuição de alimentos e medicamentos, a moradia e outros serviços comunitários como transporte eram todos providos pelo poder público e portanto não faziam parte da economia dentro da lógica de mercado. Além disso, havia na União Soviética uma cultura de cooperação.

Os EUA, por outro lado, dependem quase que exclusivamente na economia de mercado para suprir as necessidades de seus cidadãos. Existe lá, por tanto, uma enorme dependência no mercado financeiro e no comércio para suprir as necessidades da população. Existe também uma grande dependência ao petróleo para manter a mobilidade das pessoas e bens de consumo pelo país. Além disso, moradia, aquecimento, serviço de saúde, etc. fazem parte da economia de mercado. Por essas razões Orlov defende que enquanto a União Soviética passou por uma crise ‘branda’, os EUA estão passando por uma crise severa.

Baseado tanto em pesquisa antropológica como em sua própria experiência durante a queda da União Soviética, Orlov escreveu Os Cinco Estágios do Colapso. Tomar conhecimento desses estágios, segundo Orlov, é fundamental para que possamos nos preparar para o inevitável colapso global causado pela depleção dos recursos naturais da era industrial. Os Cinco Estágios do Colapso também servem para explicar como os seres humanos tem uma tendência para formar sociedades complexas com o colapso inerente. Esses estágios podem ou não acontecer na ordem descrita por Orlov. De fato, alguns estágios podem acontecer simultaneamente enquanto outros podem acontecer totalmente independente de outros.

screen-shot-2016-10-14-at-11-02-37-am

O primeiro estágio é O Colapso Financeiro. Isso acontece quando as pessoas perdem a confiança na maneira como o comércio e a industria funcionam normalmente. Ou seja, quando os riscos não podem mais ser calculados ou previstos e as pessoas deixam de acreditar que o futuro será uma progressão linear das práticas financeiras passadas e presentes.

O segundo estágio é O Colapso Comercial. Nesse estágio as pessoas já não acreditam mais que as relações de troca comerciais, ou o ‘livre mercado’, suprirá suas necessidades. Durante esse estágio as pessoas percebem que o dinheiro não é mais capaz de comprar o que elas precisam para sobreviver.

O terceiro estágio é o Colapso Político. Nesse estágio as pessoas já não acreditam mais que o governo zela pelo bem da população. É possível perceber esse estágio quando representantes eleitos começam a ser substituídos por políticos figurativos colocados no governo pelos credores do país. Nesse estágio o governo perde toda sua legitimidade.

O Colapso Social é o quarto estágio. Nesse estágio perdemos a fé de que os nossos olharão por nós. A caridade, o escambo informal e a economia do dom começam a falhar e as pessoas se relacionam sem a regulamentação das instituições financeiras governamentais ou do mercado.

O Colapso Cultural é o quinto. Nesse ponto o que se perde é a fé na bondade da humanidade. Isso acontece quando as famílias já não conseguem mais manter os padrões de ajuda e apoio mútuo e a ‘cultura humana’ colapsa. Daí em diante nosso comportamento já não é mais reconhecido como humano.

Orlov nos avisa que um sistema econômico saudável precisa se basear nos relacionamentos de trocas pessoais e confiança mútua. Um sistema econômico saudável se baseia na posse de bens materiais e culturais que possam apoiar um esquema de troca comum dentro de pequenos grupos onde as pessoas se conhecem. Orlov nos aconselha a vislumbrar um mundo no qual não podemos mais confiar nas instituições públicas e privadas, no qual essas instituições já não suprem nossas necessidades e à partir daí perguntar a nós mesmos que precisamos fazer para prover por nós mesmos, onde vivemos, o suporte necessário para nossas famílias e vizinhos.

O video abaixo contém uma entrevista (em inglês) com Dmitry Orlov sobre o livro.

Referências:

http://cluborlov.blogspot.com.au/p/the-five-stages-of-collapse.html

Orlov, D. (2013). The Five Stages of Collapse: Survivers’ toolkit. New Society Publishers. Canada.